Buscar

PT Carioca nas ruas lutando pela vida

Os pobres e favelados, na sua grande maioria pretos e pretas, sempre viveram em condições de sobrevivência. Por essa simples condição social e de raça estão expostos à letalidade de uma sociedade e seus governos que atiram primeiro e perguntam depois. A pandemia é mais uma recente face do nível da letalidade que acomete os periféricos. Se é verdade que a Covid-19 não distingue classe social, também é fato que nas camadas mais pobres os seus efeitos são devastadores. É o pobre que morre mais. E é um povo que sempre sofreu sem políticas públicas, sendo uma delas tão necessária pra superar o vírus e sobreviver, que é a saúde.


O desgoverno Bolsonaro já deixou claro que não se importa com povo. Suas medidas anti povo e suas conexões paramilitares mostram que ele não é defensor da vida. O Governo Federal teve inúmeras oportunidades de acelerar a vacinação, única maneira de conter o avanço da pandemia. Entretanto, a CPI tem mostrado que o país está sendo governado por um genocida.


Então, em meio tudo isso, onde povo não se tem muita alternativa a não ser exposição à letalidade e violência do sistema, só nos resta lutar. Pois se não morreremos de Covid-19, podemos morrer de fome ou da violência, estimulada pelo bolsonarismo. Por isso, no dia 29 de maio, eu vou para as ruas. Com todas as medidas de segurança, mas com a certeza de que só a luta salva. Temos compreensão do momento e dos cuidados diante da pandemia, mas não sejamos tolos de nos igualar aos mesmos motivos que o Bolsonaro faz pra juntar a sua horda. Ele está usando a estrutura pública para já fazer campanha, com medo da ascensão do Lula. Nós vamos para a rua lutar pela vida.


É PFF2 no rosto e corpo na rua por vacina no braço e comida no prato.

84 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo